Espaço de Ideias | Aprenda a reciclar móveis antigos
1903
post-template-default,single,single-post,postid-1903,single-format-gallery,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-18.2,qode-theme-starflix,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive
 

Aprenda a reciclar móveis antigos

Aprenda a reciclar móveis antigos

De repente virou moda pintar móveis antigos. Realmente alguns ficam uma graça, mas há que ter algum critério na hora de decidir. Se a madeira é nobre, o móvel é bonito e está emboas condições, pense duas vezes antes de pintar. Opte por mandar restaurar, se for o caso, a alguém qualificado, aprecie o tom da madeira, apaixone-se pelas formas e mantenha as suas características originais.  Agora se o móvel é de má qualidade, feito naquilo a que costumo chamar madeira de pau, está estragado, é dum estilo muito pesado e a sua casa não comporta, então pense em pintá-lo numa cor que lhe dê dignidade, seja um tom pastel ou uma cor forte, tudo depende do fim a que se destina e ao local para onde vai.  Se a envolvência é forte, escolha uma cor pastel, se o ambiente é muito neutro, então arrisque numa cor mais alegre, de modo a conferir identidade ao móvel. Lembre-se que a harmonia é a chave do sucesso. Para não gastar muito dinheiro costumo ser eu a pintar os móveis e para não perder muito tempo uso a tinta chalk paint da Annie Sloan que tem cores muito bonitas.

Este tipo de tinta tem a vantagem de não precisar de lixar o móvel antes de pintar.  Eu gosto de lixar as arestas depois de pintar e as partes trabalhadas do móvel para lhe dar um ar antigo, estragado, e ao mesmo tempo da-lhe expressão. Para finalizar, não se esqueça de aplicar uma cera por cima da tinta.  Esta cera vai-lhe dar um toque mais macio e vai impedir que a tinta saia com facilidade. Em alternativa a esta marca, existe a Rust-Oleum à venda no Leroy Merlin, é mais económica mas não tem tanta oferta de cores. Agora arregace as mangas,  pegue nos pincéis e meta mãos à obra!